A Câmara Municipal de Alcobendas e Abenin unem-se como aliados em La Guajira.


Foto nº 1. Crianças Wayuu da comunidade Câlata se expressando na Oficina nº 1 sobre prevenção e contenção da propagação do COVID-19.

Fonte: PALACIOS, Comunidade L. Câlata, La Guajira, Colômbia.

Ações humanitárias pela sobrevivência de crianças e jovens Wayuu na Colômbia La Guajira em meio à pandemia de COVID-19

 

Maria Paula Herrera Salazar
Antropóloga
profissional de campo FUCAI

maria.herrera@fucaicolombia.org

O povo Wayuu é uma das 115 etnias que se auto-reconhecem como indígenas na Colômbia e representam 20% de todos os indígenas do país. 90% deste povo indígena está localizado na colombiano-venezuelana La Guajira, um território com múltiplos recursos naturais (paisagens extraordinárias, santuários de flora e fauna, explorações de sal, carvão e gás natural, entre outros); mas também com grandes desafios a nível social e ambiental.

Há várias décadas o povo Wayuu vive uma grave crise humanitária, cujas principais vítimas são seus filhos: estima-se que entre 2008 e 2013 mais de 4.000 crianças Wayuu morreram por causas evitáveis, relacionadas à desnutrição ou falta de água potável e esse número aumenta com o passar dos anos. Após rigorosa avaliação, a Corte Constitucional da Colômbia emitiu a Sentença T-302 de 2017, na qual declarou a Inconstitucionalidade do Estado de Coisas ao reconhecer a violação massiva, generalizada, estrutural e sistemática dos direitos dos meninos e meninas Wayuu contra seu direito de acesso a: água, alimentação, saúde e participação.

Hoje, quatro anos depois, o Tribunal tenta tomar medidas mais eficazes para cumprir a sentença após verificar que: os conflitos socioambientais, a falta de coordenação entre os entes estatais responsáveis ​​por garantir o bem-estar do povo Wayuu e, em particular, os seus meninos e meninas; O desconhecimento das tradições e modos de vida deste povo, a corrupção, a pobreza e a desigualdade estrutural continuam colocando em risco a vida das crianças indígenas.

A emergência sanitária e social causada pelo COVID-19 agravou a situação, já que as principais fontes de renda das famílias Wayuu são: a venda de seus tecidos e artesanato nas praias ou centros povoados da região, pastoreio e comercialização de seus produtos. ovelhas, cabras ou peixes nos mercados locais. O confinamento prolongado, sem a garantia do gozo dos direitos fundamentais básicos e as medidas associadas à mitigação da propagação da COVID-19 reduziram a possibilidade de obtenção dos rendimentos que anteriormente auferiam e assim obterem um valor mínimo para comprar alimentos. Além disso, o fechamento temporário de estabelecimentos de ensino e unidades de atendimento comunitário à população da primeira infância (UCA) deixou centenas de crianças e jovens fora da cobertura do sistema que lhes oferecia alguns cuidados diretos de saúde, nutrição e educação.

A situação das comunidades é grave: muitas delas não têm abastecimento de água potável e os índices de desnutrição são oito vezes superiores à média nacional; os indicadores de mortalidade por causas evitáveis ​​são elevados, colocando o departamento em primeiro lugar em mortes infantis por desnutrição com uma contribuição de 23% do total de crianças mortas no país; Além disso, os níveis de pobreza e desigualdade continuam a aumentar dramaticamente.

Diante do contágio da COVID-19, a população Wayuu não tem um plano articulado e universal de informação e mitigação da pandemia, que explique o alcance desta doença e forneça elementos de biossegurança ou conselhos contra o contágio, com diferencial étnico, contextualizado e abordagem pertinente. Não tinha no início da pandemia, nem tem hoje, quando a Colômbia vive um dos picos mais generalizados da América Latina.

Neste contexto, a Asociación Ben por la Infancia – abenin e seu parceiro local, Fundación Caminos de Identidad – Fucai, têm o prazer de anunciar que iniciaram o projeto Prevenção e contenção da propagação do COVID-19 para a sobrevivência de crianças e Jovens indígenas Wayúu e suas comunidades na colombiana La Guajira , subsidiados pela Prefeitura de Alcobendas. Estima-se que este projeto beneficie diretamente pelo menos 500 pessoas de aproximadamente 100 famílias de cinco comunidades: Mechuamana, Câlata, Jasainap' Teshimana, Jotomana e Alapalein; além de cerca de 1.000 beneficiários indiretos das comunidades do entorno. Agradecemos à Câmara Municipal e aos cidadãos de Alcobendas a sua solidariedade para com o povo Wayuu e exortamo-los a acompanhar o desenvolvimento das atividades através das nossas redes sociais.

A ONGD abenin nasceu em 2003 para trabalhar em prol dos direitos da criança. Ele dedica seu esforço ao trabalho de conscientização, cooperação cultural e internacional. Registrado na Agência de Cooperação Internacional, AECID. Na Comunidade de Madrid e na Câmara Municipal de Alcobendas. Faça acordos de colaboração com outras organizações que trabalham no mundo. REDE:  www.ongabenin.org ig: @ong_abenin

A Fundação Caminos de Identidad - Fucai trabalha há mais de 30 anos pelo reconhecimento, inclusão, respeito e desenvolvimento das comunidades indígenas no território colombiano e latino-americano, com resultados altamente satisfatórios por parte das comunidades beneficiárias, autoridades locais e as entidades financiadoras dos projetos. Tem realizado processos focados na melhoria da qualidade de vida das comunidades em quatro eixos fundamentais: família, infância e juventude; educação, soberania alimentar e autogoverno. Garantir o acesso aos direitos de crianças e adolescentes indígenas de comunidades de alta vulnerabilidade tem sido uma meta constante da Fucai. WEB: www.fucaicolombia.org IG: @fucaicolombia_org

Saiba mais sobre Abenin.